Foto: Muriel Ricardo Albonico/DNIT/ESGA

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) realiza hoje mais uma audiência pública para a discussão das minutas de edital e contrato ao Programa de Exploração da Rodovia e aos Estudos de Viabilidade para a concessão da BR-101/SC, no trecho entre Paulo Lopes e São João do Sul.

O presidente da Acit (Associação Empresarial de Tubarão), Edson Martins Antônio, participa da audiência pública com o objetivo de elencar contribuições. A reunião acontece das 9h às 18h, no CastelMar Hotel, em Florianópolis.

O número de praças de pedágio que devem ser instaladas na região ainda é o tema principal, abordado por prefeitos, deputados e empresários da região. A proposta da ANTT é instalar quatro pedágios, em Laguna (km 298), Tubarão (km 346), Araranguá (km 408) e São João do Sul (km 460), com o valor de R$ 3,97 para veículos de passeio em cada praça.

As sugestões de alterações sobre o projeto de concessão da BR-101 trecho Sul à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) foram definidas por lideranças da região. As Associações Empresariais do Sul do Estado de Santa Catarina formularam algumas propostas enviadas à ANTT.

Pelo documento, segundo o presidente da Acit, entre as ponderações está  realizar um novo estudo de medição do tráfego no trecho Sul e adequar o valor do teto previsto no edital para o valor já praticado atualmente no trecho Norte da mesma rodovia, em R$ 2,70, base outubro de 2018.

A redução do número de praças de pedágio também está entre as sugestões. “Reduzir o número de praças de pedágio para apenas duas unidades, mantendo as previstas para Tubarão – km 346, e São João do Sul – km 460”, diz o documento.

O prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli, diz não ser contrário aos pedágios, mas à sua quantidade. “Pessoalmente, não sou contra os pedágios na rodovia, pois são, talvez, a única forma, hoje em dia, de vermos obras complementares construídas. O que preocupa é o número de praças nesse trecho e o valor das tarifas que serão cobradas”, salientou Joares.

Trecho para concessão

O trecho da rodovia federal a ser concedido é de 220,42 quilômetros. Neste trajeto, a BR-101 passa por 17 municípios do Sul catarinense. O modelo de concessão prevê investimentos de R$ 2,9 bilhões em 30 anos de administração pela iniciativa privada. O custo operacional previsto é de R$ 3,6 bilhões, em conservação, operação e monitoramento.