Divulgação/PML

A BR-101, em Laguna, poderá ter futuramente uma praça de pedágio instalada. A notícia foi informada durante audiência pública promovida pela Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT), em Florianópolis, realizada na tarde desta terça, 17. O evento foi realizado para discutir os termos dos editais que serão lançados pela autarquia e minutas de contrato da concessão do trecho de 220,42 quilômetros da rodovia que será entregue à iniciativa privada.

O investimento previsto é de R$ 6,5 bilhões, divididos em R$ 2,9 bilhões para serem aplicados e R$ 3,6 bilhões dos custos operacionais. A previsão é que o leilão seja realizado em 2019, no terceiro trimestre. A concessão tem duração de trinta anos.

Ficaram definidas quatro praças de pedágio: Laguna, Tubarão, Araranguá e São João do Sul. A intenção da autarquia é que o preço seja de R$ 3,98 ao usuário da rodovia. Os principais motivos para a privatização desse trecho da BR-101, são: redução dos custos operacionais, no tempo de viagem, aumento conforto do usuário e diminuição de acidentes.

“Na ocasião fiz defesa oral pela manutenção de uma praça em Laguna, construção de marginais de Bentos à Itapirubá, melhoria do trevo de acesso em Laguna e inclusão nos pedágios do custo de iluminação da Ponte Anita Garibaldi, trevo, túneis e passarelas”, afirmou o prefeito Mauro Candemil que participou da audiência.

O tema continua sendo discutido em audiência pública nesta quinta, 18, às 14h, em Criciúma no Sisos Hall. Outro encontro sobre o assunto será realizado em Brasília, no dia 22.

Concessão deve abrir mais de mil postos de trabalho

Segundo a ANTT, levantamentos mostram que a geração de empregos deve crescer com a concessão à iniciativa privada. 1.030 vagas diretas e 510 indiretas, num total de 1.540, devem ser abertas. A agência explica ainda que nas três décadas do contrato, é prevista a geração de R$ 574 milhões de reais em impostos, além de R$ 23 milhões em pesquisas para desenvolvimento de tecnologias e R$ 13 milhões em projetos relacionados à segurança no trânsito.

A partir do leilão e assinatura do contrato serão feitas intervenções emergenciais e instalação de nova sinalização, isso no primeiro ano. Entre o segundo e quinto ano de concessão, está prevista a recuperação integral da rodovia com novo pavimento, com a projeção de abertura de sete novas vias marginais em Garopaba, Imbituba, Capivari, Tubarão, Criciúma, Araranguá e São João do Sul. Faixas adicionais, ampliando a capacidade de tráfego, serão construídas no decorrer do 19º ano de privatização.