Instituto Chico Mendes dá dicas de como proceder em casos de animais marinhos enredados

Divulgação

 428 visualizações

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) divulgou na manhã desta segunda-feira, dia 3, uma série de cuidados a serem tomados em caso de animais marinhos presos em redes de pescas. No último dia 22, uma operação foi necessária para libertar um filhote de baleia-franca, que apareceu preso em uma rede de pesca na praia do Pântano do Sul, em Florianópolis. ele acabou liberado em Garopaba somente no dia seguinte. Detalhe: nem todos os casos movimentam uma operação semelhante a esta.

Conforme o ICMBio, o enredamento nem sempre causa risco de morte ao animal. Portanto, não é necessário intervenção de pessoas na grande maioria dos casos. O melhor a se fazer, é registrar a situação em fotos e vídeos e encaminhar o material via email (apadabaleiafranca@icmbio.gov.br) ou Whatsapp (48 99170-5077).

Os dados serão analisados por profissionais treinados, que farão o acompanhamento necessário antes da tentativa de resgate. “O instituto adverte às pessoas para não tentarem desenredar as baleias, pois trata-se de uma atividade de extremo risco e que requer pessoal treinado para sua realização com segurança, mas que comuniquem imediatamente os órgãos competentes, para que as situações possam ser analisadas com a rapidez necessária”, diz o texto.

Ainda segundo informações do instituto, a maior parte das ocorrências de enredamento de baleias na região refere-se a baleias-franca com pedaços de redes de pesca presas na cabeça. “Quando isto ocorre, a rede tende a sair sozinha da baleia, sem necessidade de interferência para remoção”, diz o ICMBio.

Como ajudar  

Caso encontre um animal marinho encalhado ligue imediatamente para as instituições responsáveis. Nunca o force a voltar para a água. Caso o animal esteja preso à rede dentro da água, não se aproxime. A presença de embarcações pode estressar ainda mais o animal. Ajude a isolar a área mantendo pessoas e animais domésticos afastados. Colabore com a sensibilização e a conscientização da comunidade. 

 

Notícias relacionadas